Padronização e maturação do tomate impactam no rendimento industrial

NewsPadronização e maturação do tomate impactam no rendimento industrial
Padronização e maturação do tomate impactam no rendimento industrial
20 Apr, 2017
Tomate indústria tratamento Alltech Crop Science

Para alcançar um bom rendimento industrial, o produtor de tomate rasteiro precisa estar atento aos aspectos de padronização e maturação do fruto colhido. Estes fatores são essenciais para que a qualidade exigida pelo mercado seja alcançada ao chegar na fábrica. No estado de Goiás, maior produtor de tomate industrial do Brasil, agricultores têm investido no uso de complementos nutricionais e no manejo fitossanitário para atender a demanda.

O gerente de produção da Fazenda Vilage, em Cristalina (GO), Givarley Alves Pereira, conta que na propriedade, o uso de soluções naturais à base de Cálcio, Boro, Magnésio, Potássio e aminoácidos é feito com o objetivo de aumentar a qualidade do produto comercializado, o que tem apresentado bons resultados. "Se o fruto chegar desintegrado, perdendo mais de 30% do total, não é nem aceito na indústria. O uso de soluções naturais tem me auxiliado a atingir esses índices", conta. Pereira ainda destaca que a taxa de maturação do fruto precisa estar em torno de 90%.

Segundo o engenheiro agrônomo Marcos Revoredo, gerente técnico especializado em hortifruti da Alltech Crop Science, estes dois indicativos impactam diretamente no rendimento industrial do tomate, ponto principal buscado pelo comprador. "Isso se dá justamente pelo manejo que o produtor tem sobre o fruto. Por exemplo, uma melhor uniformidade de maturação desses frutos, devido a maior concentração de sólidos solúveis, somada à produção obtida vai permitir um melhor aproveitamento do lote pela fábrica", afirma.

Entre os nutrientes destacados por Revoredo como essenciais à planta nestes processos está o Potássio. "A sua utilização associada a aminoácidos estimula o transporte de sólidos solúveis para as folhas, que servirão de reserva para encher os frutos no final do ciclo, resultando em uma uniformidade de maturação do tomate". Além dos cuidados nutricionais, a atenção à data de plantio, à escolha adequada da variedade e ao controle de pragas e doenças são fundamentais.

"O manejo fitossanitário é importante tanto no aspecto de insetos e pragas, que podem ocasionar interferência no desenvolvimento e na produtividade dos frutos, como também, um bom controle doenças bacterianas, que podem afetar a qualidade final do produto. Se ocorre um ataque severo de doença e ocorre a queda de folhas, vamos ter uma menor produtividade e uniformidade de maturação desses frutos lá no final", complementa.